Os consumidores estão cada vez mais exigentes e contam com a facilidade e a comodidade de realizar as suas compras online. Este é um dos grandes desafios de shoppings, redes de supermercado e lojas em geral: entender como rentabilizar o PDV (ponto de venda) para torná-lo mais atrativo, de modo a oferecer uma experiência diferenciada ao cliente e garantir resultados positivos para o negócio.

O cliente está presente, ou seja, a experiência acontece de forma offline — ele consegue ver e experimentar o produto. Mas essa ação é complementada digitalmente, por meio do acesso aos dados e a partir de um dispositivo móvel do próprio consumidor. A empresa capta suas informações para oferecer itens personalizados e direcionar a sua jornada dentro do próprio estabelecimento. Isso parece promissor para você?

Neste artigo, discutimos algumas soluções que podem ser estratégicas nesse sentido, para que pequenas lojas, redes e grandes corporações, como shoppings centers, aumentem seus resultados com a rentabilização do PDV e possam se diferenciar frente ao crescimento do modelo totalmente digital. Confira!

Como aumentar a rentabilidade do PDV?

É possível rentabilizar o PDV de várias formas, desde com a coleta de dados do cliente pela rede Wi-Fi até com o oferecimento de publicidade direcionada no primeiro acesso do consumidor à rede ou por meio de mapas de calor. Veja, a seguir, cada uma dessas estratégias detalhadamente.

Wi-Fi

Não há quem não queira um acesso mais rápido à Internet, tanto para fazer consultas nas ferramentas de pesquisa acerca das características ou da usabilidade de itens que foram vistos durante uma visita à loja quanto para fazer vídeos ou falar com amigos.

Quando um celular se conecta à rede Wi-Fi de uma empresa, é possível saber a quantidade de clientes dentro da loja e coletar informações indispensáveis para estabelecer uma estratégia mais direcionada. Isso porque o consumidor precisa fazer o login, pelo menos, uma vez, o que permite que a empresa faça o tracking desse cliente.

Mesmo com toda a preocupação com a privacidade das informações, para atender à Lei Geral de Proteção de Dados – LGPD, nesse modelo, o cliente consente o acesso, e isso não cria precedentes para comprometer o compliance das corporações que utilizaram as informações durante e depois do acesso.

Hoje, por exemplo, é muito comum o consumidor receber, no ato do pagamento, um cupom de desconto juntamente ao cupom fiscal. No entanto, ele não utiliza esse ticket promocional naquele momento, uma vez que precisa retornar ao interior do PDV e recomeçar o processo de compra.

Com a solução da Think Digital, é possível entregar esse cupom enquanto o cliente ainda está na loja, durante sua primeira experiência, por meio da integração entre o software de gestão, as informações do Wi-Fi e o sistema de PDV. 

Se a empresa sabe que o cliente gosta de vinho, por exemplo, pode direcioná-lo ao setor relacionado a essa preferência e personalizar uma campanha, disponibilizar uma promoção ou fornecer dicas relacionadas ao consumo da bebida.

Isso aumenta o impacto sobre o perfil de consumo do cliente, que, além de se sentir importante para a empresa, recebe informações relevantes para a sua experiência e ainda pode ser premiado por um cupom promocional, ou seja, uma vantagem por estar fidelizado.

Mapa de calor

O mapa de calor é uma ferramenta mais apropriada para empreendimentos maiores, como shoppings, cujos gestores precisam saber quais lojas são mais atraentes para os clientes, se o layout favorece a presença de consumidores de forma abrangente ou quais áreas são mais privilegiadas em relação a isso.

A infraestrutura é montada com antenas, que identificam, por meio do calor emitido pelas pessoas, quais são os locais em que elas se encontram e o caminho que percorreram. Assim, é possível acompanhar, ainda, a experiência — se os clientes fazem compras antes ou depois de comer, por exemplo.

Vídeos promocionais

A monetização do ponto de venda também pode acontecer por meio de parcerias com empresas interessadas em oferecer publicidade e vídeos promocionais no processo de login do cliente na rede corporativa.

A empresa usa, por exemplo, a rede Wi-Fi e o Catch & Portable como uma plataforma de mídia. Assim que o cliente se conecta, é transmitido um vídeo que contém informações que o direcionam para consumir um determinado produto, conhecer uma marca ou receber um desconto.

Qual a infraestrutura demandada para rentabilizar o PDV?

A empresa precisa ter certa maturidade digital, uma vez que a efetivação dessas estratégias é baseada no acesso à rede corporativa. Apesar disso, a conectividade no ponto de venda já vem da necessidade de integrar coletores de preço, softwares de gestão, devices para venda online, balanças, câmeras de segurança e outros equipamentos.

Tudo funciona de forma integrada por meio da rede Wi-Fi. Então, basta criar uma infraestrutura que forneça acesso a uma rede de alta qualidade e de forma segura.

Como a Think Digital pode ajudar a alavancar os resultados de pequenos e grandes empreendimentos?

A Think Digital fornece a solução e toda a gestão no pós-venda, que inclui o treinamento de equipes. Atualmente, a empresa direciona seus esforços para atender a grandes empreendimentos, como shoppings, mas isso não a impede de atender a PDVs, já que a ferramenta é adequada para qualquer tamanho ou segmento de negócio: supermercados, restaurantes, pequenos mercados e lojas de bairro.

A empresa já atua em mais de 100 shoppings centers e, por isso, tornou-se o maior playing de Wi-Fi inteligente do Brasil — instala a plataforma de acesso à Internet; oferece uma boa experiência de navegação, com segurança e disponibilidade; e estrutura a estratégia para a coleta e a análise de dados.

Isso permite que a contratante tenha uma série de insights acerca do seu usuário de Wi-Fi, ou seja, seu consumidor, e ainda aumenta a satisfação do seu cliente, que utiliza uma rede de alto desempenho. 

O estabelecimento, por meio dessa solução, entende melhor o comportamento do seu público e, por meio do mapa de calor, sabe os horários de maior movimento, o tempo de permanência dos clientes, as áreas com maior demanda de atendimento e o impacto da temperatura externa no fluxo de pessoas.

Além disso, consegue criar um layout estratégico para privilegiar um fluxo mais rentável para as lojas que compõem sua estrutura, para que o movimento não se mantenha apenas na praça de alimentação.

Depois de analisar toda essa informação, o shopping consegue criar ações para aumentar a efetividade das suas vendas — pode mudar o mix de lojas, para descobrir como rentabilizar o PDV, enviar e-mails para clientes pouco assíduos ou desenvolver campanhas específicas para aniversariantes, por exemplo. Assim, aumenta o engajamento dos clientes e garante a fidelização do seu público.

Agora que você sabe como rentabilizar o PDV, que tal entrar em contato com a Think Digital para aumentar o desempenho da sua empresa?

Compartilhe!