A infraestrutura de rede é um conjunto de dispositivos e softwares que faz parte da rede de TI da empresa. Esta é composta de muitos elementos, e cada um deles é responsável pela operação de um segmento separado, pela implementação de tarefas específicas e pela segurança de todo o sistema. Tudo isso significa que o gerenciamento eficaz afeta diretamente a qualidade da infraestrutura da empresa.

Portanto, dispositivos como servidores ou computadores, cabeamento e consumidores finais são parte operante de um sistema de rede. O gerenciamento dessa estrutura complexa é de responsabilidade de seu administrador ou grupo de administradores e é essencial para o desempenho dos processos internos e da comunicação.

Neste artigo, apresentamos os principais benefícios da infraestrutura de rede para a sua empresa. Não perca!

1. Maior disponibilidade da informação para os gestores

Uma boa infraestrutura de rede proporciona uma gestão aprimorada dos dados empresariais. A velocidade do fluxo de dados no ambiente corporativo atual é muito maior que antes, e toda agilidade que possa ser alcançada é bem-vinda. Afinal, os gestores precisam ter acesso rápido a informações para uma tomada de decisão consistente.

Para isso, a ocorrência de falhas e a lentidão do fluxo nas conexões devem ser levadas a um patamar mínimo. Como ninguém pode prever exatamente como a empresa se desenvolve, as redes precisam ser permanentemente flexíveis. Isso se refere à largura de banda que pode ser ajustada rapidamente, bem como à capacidade de integrar a novos locais.

Um exemplo disso é o design de VPN (Rede Virtual Privada) de alta qualidade e operação confiável, que é hoje um dos fatores críticos de sucesso dos negócios. A disponibilidade de informações em tempo real só é possível com conhecimento de infraestrutura de rede apropriado e com métodos e processos profissionais comprovados.

2. Mais segurança para a empresa

Como ponto de partida para uma infraestrutura de rede segura, redes maiores requerem um plano de compartilhamento. Então, o eventual dano no caso de uma infecção por malware é limitado a apenas uma área afetada, e não a toda a rede. Essa segmentação, portanto, atua como uma barreira adicional contra ameaças de dentro da rede.

Além disso, uma infraestrutura de rede bem projetada pode garantir um requisito de proteção diferente do equipamento, o que de outra forma não seria possível. A principal tarefa é obter o maior controle e o desempenho de todos os processos e atividades diretamente relacionados à empresa.

Podemos citar como exemplo o uso de um firewall para controlar as solicitações entre a rede local e a internet e bloquear todas as conexões que não são explicitamente declaradas como permitidas. Os firewalls estão disponíveis em uma gama de designs e preços: há desde roteadores de banda larga com firewalls de filtro de pacotes integrados, até dispositivos de alto desempenho com várias zonas de proteção.

Também podemos destacar as seguintes soluções:

  • switches gerenciáveis: têm filtros de IP e várias opções de autenticação, além de atuarem em camadas da rede que identificam e impedem ataques como DoS;
  • VLANs: redes virtuais que permitem acesso a dados por usuários que não fazem parte de um grupo específico.

3. Virtualização

A virtualização consiste em gerenciar os recursos disponíveis em um ambiente virtual, o que permite aumentar a eficiência da rede e obter as economias de infraestrutura necessárias. Tal processo pode ser realizado de várias maneiras. Para esse fim, é usado o chamado hypervisor, um programa cuja tarefa é controlar o trabalho do dispositivo físico.

Com ele, você pode até fazer uma paravirtualização, que envolve a cooperação de um sistema operacional virtual com o software utilizado no sistema. Graças a isso, torna-se possível gerenciar processos virtuais com mais eficiência e aliviar outros ambientes. É uma excelente vantagem para operações de rede.

Como parte do gerenciamento da infraestrutura de rede, a virtualização completa também pode ser implementada. A ação consiste em emular operações do sistema operacional virtual de forma que o usuário que o utiliza tenha a impressão de que está usando equipamento físico.

4. Redução de custos

Basicamente, a maioria das redes trabalha bem abaixo da carga total possível. Com isso, há custos operacionais desnecessários em:

  • energia;
  • refrigeração;
  • infraestrutura real;
  • cabeamento;
  • equipe administrativa.

Por meio de uma infraestrutura de rede virtualizada, grande parte das tarefas do sistema pode ser realizada em um ambiente virtual, o que permite reduzir drasticamente os custos de hardware. Dessa maneira, computadores físicos são substituídos por máquinas virtuais. As novas variantes de acesso podem ser selecionadas do ponto de vista econômico e técnico e, em seguida, combinadas idealmente.

Uma infraestrutura de redes mais dinâmica às demandas é eficiente e possibilita que a empresa tenha uma melhor projeção de expansão, dada a sua atualização constante no fluxo de dados. Afinal, a base para a comunicação eficaz entre dois ou mais computadores é uma infraestrutura de rede funcional.

Se essa rede não estiver configurada, o usuário não poderá navegar na internet com o computador nem acessar outros computadores, servidores ou bancos de dados. Esse tipo de falha gera custos elevados e prejuízos para o balanço de faturamento da empresa.

5. Competitividade no mercado

A dinâmica do mercado exige o empenho das organizações na garantia de processos dinâmicos e protegidos. A concorrência sempre está buscando implementar estratégias e ferramentas para se colocar à frente no mercado. Porém, sem uma infraestrutura de rede adequada, é inviável manter soluções robustas e sustentar o uso de protocolos já empregados nas rotinas diárias.

Ao promover o suporte correto para a implementação e o processamento de dados na rede, há consistência nas ações tomadas. A consequência disso são melhores resultados na prestação de serviços e no desenvolvimento de produtos para os consumidores. Por isso, é importante investir em tecnologia para conseguir um crescimento sustentável e competitivo.

Assim, para garantir o correto dimensionamento da infraestrutura de rede, é preciso seguir os padrões e melhores práticas do mercado, como na NBR 14565:2019. Além disso, preste atenção à qualidade dos materiais utilizados, como cabos de fibra óptica e roteadores. O dimensionamento deve ser executado com base em um projeto específico de acordo com as características e demandas da organização.

Se você gostou do artigo e quer acompanhar mais conteúdos como este, siga a gente nas redes sociais. Estamos no Facebook e no LinkedIn!

Compartilhe!